Últimas notícias

Saúde

  • Cuidados e prevenção contra a febre do carrapato
    Cuidados e prevenção contra a febre do carrapato

    Todos os anos entre o fim da primavera e o início do verão as autoridades médicas e sanitárias dos Estados de New England – Vermont, Maine, New Hampshire, Massachusetts, Rhode Island e Connecticut alertam para o aumento do número de carrapatos, que possibilita o surgimento da doença de Lyme e de outros males associados com os sugadores de sangue.

    Para as autoridade é sempre tempo de informar a população por causa da infestação dos carrapatos que fazem animais como os ratos, esquilos e outros pequenos roedores como hospedeiros.

    Tipos de carrapatos mais comuns na região
    Carrapatos de patas negras
    Os carrapatos de patas negras (Black-legged Tick), são responsáveis pela disseminação da doença de Lyme (Lyme Disease), da babesiose, anaplasmose, Borrelia miyamotoi e vírus Powassan. O maior risco de ser mordido por este tipo de carrapato ocorre em toda a primavera, verão e outono. No entanto, os adultos também podem procurar um anfitrião qualquer se as temperaturas de inverno estejam acima de zero.

    Carrapatos de cachorros
    Os carrapatos de cachorros (Dog Tick) são responsáveis pela disseminação da febre maculosa e certos tipos de tularemia. Em geral, apenas o carrapato de cachorro adulto vai morder os seres humanos. O maior risco de ser mordido por um carrapato de cachorro ocorre durante a primavera e o verão. Carrapatos de cachorros adultos têm o tamanho de aproximadamente uma semente de melancia.

    Carrapatos estrela solitária
    Os carrapatos estrela solitária (Lowe star) não são uma fonte significativa de doenças humanas em Massachusetts neste momento, mas são capazes de espalhar tularemia, erliquiose e doença exantemática associado-tick sul (STARI). A saliva do carrapato estrela solitária pode ser irritante, provocar vermelhidão e desconforto no local da picada, mas não indica necessariamente qualquer infecção. A saliva do carrapato estrela solitária pode causar alergia a vermelhidão em algumas pessoas.

    Tenha cuidado com os carrapatos
    A doença de Lyme (Febre do Carrapato), transmitida a pessoas e animais pela picada de um carrapato infectado, é a doença causada por carrapatos mais comum em Massachusetts. Desde 2009 milhares de casos foram registrados no Estado. A doença pode causar complicações sérias se não for reconhecida e tratada cedo. Os carrapatos do veado podem também transmitir germes que causam outras doenças, como a babesiose e anaplasmose. Embora pouco comuns, essas doenças são muito sérias.

    Carrapatos mais comuns em New England. Fotos: DPH

    Para evitar contrair uma doença transmitida pela picada de um carrapato, você deve:
    – Usar repelente que contenha DEET de acordo com as instruções no rótulo do produto;

    – Vestir camisas de manga comprida e calças dentro das meias. A roupa deve ser, de preferência, de uma cor clara. Isso ajudará a ver se um carrapato estiver na sua roupa e evitar que entre em contato com sua pele;

    – Considerar a possibilidade de aplicar um repelente que contenha permetrina na sua roupa, seguindo as instruções no rótulo do produto;

    – Se você esteve em algum lugar onde pôde haver carrapatos, reviste seu corpo, assim como as crianças e seus animais de estimação uma vez por dia. Os carrapatos costumam ficar nas seguintes áreas do corpo: axilas, raiz do cabelo, virilha, pernas, coxas e dentro ou por trás das orelhas. Procurar carrapatos no seu corpo é uma maneira eficaz de evitar as infecções causadas por esse animal. Se achar um carrapato preso no seu corpo, tente tirá-lo o mais rápido possível. Use uma pinça de ponta fina para pegar o carrapato o mais perto da sua pele possível e puxe para fora de uma vez só. Retirar o carrapato preso dentro de 24 a 36 horas após a picada é uma forma muito eficaz de evitar uma infecção;

    – Saiba que os sintomas iniciais da doença de Lyme incluem brotoeja (erupção da pele) na região da picada e/ou sintomas semelhantes aos da gripe. Consulte com um profissional da área da saúde se você apresentar algum desses sintomas.

    O Department of Public Health (DPH), disponibiliza informações em diversos idiomas, acerca da febre do carrapato, inclusive em português do Brasil, para que a população saiba mais sobre as doenças transmitidas por carrapatos e como preveni-las. As informações são de responsabilidade do Department of Public Health (DPH).

Imigração

  • Travessia mortífera
    Travessia mortífera

    Com temperaturas entre os 90 F e os 100 F, o calor em San Antonio, Texas, é sufocante e em poucos minutos debaixo do sol, é o suficiente para provocar insolação e até a morte. Se uma pessoa estiver trancada na carroceria de um caminhão, a potencialização pode ser a morte por asfixia e sufocamento. Certamente foi isto o que aconteceu no interior da carroceria do caminhão vermelho que foi abandonado com mexicanos, hondurenhos, guatemaltecos e outras nacionalidades à própria – má – sorte.

    O resultado é até o fechamento deste texto de 51 mortos e 16 pessoas feridas, sendo que entre os mortos há crianças. O que estas pessoas faziam dentro da câmara da morte? Tentavam entrar nos Estados Unidos via fronteira com o México, que protagoniza nos últimos anos uma crise humanitária sem fim e sem solução a curto prazo.

    De acordo com as autoridades, os corpos estavam empilhados uns sobre os outros e o que restou mais uma vez é a falta de explicação factível que justifique que tantas pessoas percam a vida nestas travessias mortais.

    Desafortunadamente, desta vez as mortes aconteceram no Texas, governado pelo republicano Greg Abbott, que culpa a atual administração pelo infortúnio de milhares de pessoas que se arriscam na busca de uma vida melhor e mais digna para si e para suas famílias.

    Tais pessoas ficam à mercê de traficantes de pessoas que visam unicamente o lucro desmedido sem se importar com a segurança de quem está confiando suas vidas a eles. O vácuo legal que existe com a falta de uma lei de imigração que jamais segue adiante no parlamento dos Estados Unidos faz com que o desespero tome conta de milhares de pessoas que todos os dias sem lançam em aventuras macabras e funestas.

    Não há solução. Não há perspectiva de que isto mude nos próximos tempos pois nada parece comover os parlamentares de que uma reforma de imigração é premente. Enquanto isto continuam fazendo vistas grossas e passado o pasmo e o clamor público por mais uma tragédia que poderia ter sido evitada.

    Não adianta jogar a culpa sobre o outro, a responsabilidade é de quem governa e de quem faz e aprova leis, que neste caso fazem falta. 

    A imigração – principalmente a ilegal – sempre foi um problema para os Estados Unidos, pela falta de uma política definitiva que regulamentasse o assunto. Mesmo sendo um problema, a imigração sempre foi tolerada pelo governo americano e a cada ano que passa aumenta cada vez mais. A questão da imigração indocumentada ou ilegal como queiram muitos tornou-se mais evidente a partir dos anos 1990 e a década de 2000 por falta de uma política definitiva sobre o assunto. Há de se considerar a reabertura da Lei 245i em dezembro de 2000 e a partir daí, foram oitos anos de aridez do período de George W. Bush, os oito anos de Barack Obama e os quatro anos de gritaria, estridência e perseguição da administração Trump, período que teve um crescimento da intolerância, do preconceito, da xenofobia e da manipulação por parte dos conservadores fazendo todo tipo de pressão para que nada, absolutamente nada fosse feito. 

    Carente de mão de obra não especializada, os Estados Unidos destinam aos imigrantes os postos de trabalho que o americano – invariavelmente – jamais deseja. Com isto a oferta de empregos sempre foi maior que a demanda de mão de obra, sempre farta, pois o que nunca faltou foi imigrante chegando todos os dias aos milhares. 

    Grande parte destas pessoas estão nas sombras por falta de documentos, mas contribuindo com o seu suor e dinheiro para que a América seja sempre próspera. Claro que muito há para ser feito, e as autoridades podem e devem impor regras para corrigir este estado de coisas, o que é sim, um direito inquestionável, mesmo que algumas injustiças sejam cometidas, mas isto é para ser discutido em outra oportunidade.   

    Enquanto isto não acontecer é de se esperar que tantos caminhões vermelhos sejam abandonados no meio do nada debaixo de temperaturas que beiram os 100 F lotados de pessoas que buscam dias melhores, mas que acabarão morrendo abandonadas à própria – má – sorte… 

    Disclaimer
    “All opinions and commentaries expressed by the participants in this interview are solely their personal current opinions and comments and do not reflect the opinions of A NOTICIA USA, their employees, business partners, directors, or affiliates, and may have been previously disseminated by them. The interview participants` opinions are based upon information they consider reliable, but neither A NOTICIA USA nor its affiliates, warrant its completeness or accuracy, and it should not rely upon as such”.