O Serviço de Imigração e Alfândega dos EUA (ICE) Homeland Security Investigations (HSI) ajudou na prisão de um brasileiro de 44 anos pelas autoridades brasileiras em 10 de setembro. O suspeito estava sob investigação da HSI Newark por posse e distribuição de material de abuso sexual infantil (CSAM) e simultaneamente pelo Departamento de Polícia de Newark e pela Promotoria do Condado de Essex pelo suposto estupro de uma criança de 8 e 12 anos em Nova Jersey em junho de 2021.

O suspeito está sendo investigado pelo HSI de Newark por acusações que incluem posse e distribuição de material de abuso sexual infantil (CSAM) e, simultaneamente, pelo Departamento de Polícia de Newark e pela Procuradoria do Condado de Essex por acusações relacionadas aos supostos estupros de um suspeito de oito anos. criança de 12 anos e criança de 8 anos em Nova Jersey em junho de 2021.

A HSI Newark é reconhecida mundialmente como líder global nos programas de investigação para o trabalho das HSIs sobre exploração infantil e está comprometida em usar suas extensas autoridades, alcance internacional e fortes parcerias estatais e não estatais para identificar e resgatar vítimas infantis, localizar e prender os perpetradores, prevenir o abuso sexual infantil transnacional e contribuir para tornar a Internet um lugar mais seguro para as crianças.

A HSI Newark trabalha em colaboração com o NCMEC, parceiros do ICAC e outras agências federais, estaduais e locais para ajudar a resolver casos e resgatar crianças que estão sendo exploradas sexualmente.

Um mandado de prisão foi emitido pelas autoridades de Nova Jersey logo após os supostos estupros. No entanto, o brasileiro já havia fugido dos Estados Unidos para o Brasil, entrando no México a pé e solicitando um documento de viagem emergencial à embaixada brasileira no México.

Um cidadão brasileiro não pode ser extraditado de acordo com a Constituição brasileira, indicando que o suspeito fugiu para evitar ser preso e processado pelas autoridades americanas.

Em agosto de 2021, o HSI iniciou a colaboração com a Polícia Federal do Brasil e a Polícia Civil do Espírito Santo Unidade Especializada de Proteção a Menores, na investigação e eventual ação penal por violações do Código Penal Brasileiro (CPB) 217-A, estupro de Menor e 241-A/B, Posse e Distribuição de CSAM. Essas violações se enquadram nas premissas do artigo 7º do CPB, que permite a persecução criminal contra cidadãos brasileiros por crimes hediondos cometidos no exterior.

Junto com a prisão, as autoridades brasileiras solicitaram todos os relatórios e provas forenses gerados nos EUA para uso nos tribunais brasileiros por meio do Tratado de Assistência Jurídica Mútua.

“Este é um excelente exemplo de nossa forte parceria entre os Estados Unidos e o Brasil”, disse o Diretor Assistente de Operações Internacionais da HSI, Patrick McElwain. “Todos nós temos o mesmo objetivo, que é manter nossas comunidades e países a salvo de criminosos e organizações criminosas, especialmente quando crimes são cometidos contra nossos filhos.”

#child rape     #rape victim     #sexual abuse     #child exploitation     #sexual offences     #sexual assault     #child victims     #sexual exams     #adolescents victims     #sexual violence     #child abuse     #abuse material     #indecent assault     #county prosecutors     #abuse section    

Recursos Citados:


DISCLAIMER
“All opinions and commentaries expressed by the participants in this interview are solely their personal current opinions and comments and do not reflect the opinions of A NOTICIA USA, their employees, business partners, directors, or affiliates, and may have been previously disseminated by them. The interview participants` opinions are based upon information they consider reliable, but neither A NOTICIA USA nor its affiliates, warrant its completeness or accuracy, and it should not rely upon as such. We cite sources to follow a important and restrict rule of research before a article is published, we also ask for your help, fake news a serious matter, if by a slip of attention we miss any information that is not acurate and you have evidence of the information please share it with us.”.

“Todas as opiniões e comentários expressos pelos participantes nesta entrevista são apenas suas opiniões e comentários pessoais atuais e não refletem as opiniões de A NOTICIA USA, seus funcionários, parceiros de negócios, diretores ou afiliados, e podem ter sido divulgados anteriormente por eles . As opiniões dos participantes da entrevista são baseadas em informações que eles consideram confiáveis, mas nem A NOTICIA USA nem suas afiliadas garantem sua integridade ou precisão, e não devem se basear como tal. Citamos fontes para seguir uma regra importante e restrita de pesquisa antes de um artigo ser publicado, também pedimos sua ajuda, fake news é um assunto sério, se por um lapso de atenção perdermos alguma informação que não seja precisa e você tenha evidências dessas informações, por favor, compartilhe conosco”.


 

Leave a Reply

Your email address will not be published.