O corpo do padre Volmar Scaravelli, que morreu na madrugada do dia 26 de abril, em Margate, Flórida, será enviado para o Brasil, para ser sepultado em Rondinha, Rio Grande do Sul, onde nasceu. O sepultamento acontecerá no cemitério onde estão os túmulos dos seus pais.

Missa de corpo presente. Foto: Eduardo Ribeiro/A Notícia USA

Duas cerimônias que aconteceram no domingo, 1º e na segunda-feira, 2, permitiram que centenas de pessoas pudessem velar o padre Scaravelli e uma missa de corpo presente foi celebrada na segunda-feira. Um grande grupo de frequentadores da Paróquia São Tarcisio, inclusive o padre Marcio Toniazzo – pároco de Framingham, foi para a Flórida para prestar suas últimas homenagens ao sacerdote que foi pároco em Framingham por cerca de dez anos, e deixou um trabalho marcante e um grande legado na comunidade católica. Sua morte provocou uma grande comoção em Framingham e em Margate.

Fiéis católicos brasileiros, hispânicos, americanos e outras nacionalidades lotaram a St. Vincent Catholic Church, reverenciando a vida e a obra do padre Volmar Scaravelli.

O corpo será embarcado para o Brasil, e de acordo com Daniela Scaravelli, que é sobrinha do falecido, ainda não está definido a data do sepultamento, pois dependerá dos trâmites legais.

Trajetória
O padre Volmar Scaravelli nasceu em Rondinha, RS, em 28 de setembro de 1952 em uma família de origem italiana, filho de Maria Scarton e Vicenzo Scaravelli, Volmar foi o décimo de doze filhos do casal – sendo sete homens e cinco mulheres.

Padre Volmar Scaravelli em julho de 2021. Foto: Eduardo Ribeiro/A Notícia USA

Aos onze anos, foi por influência dos pais católicos, para o Seminário São Rafael de Casca, onde iniciou o seus estudos para ser um padre. O padre Scaravelli pertenceu à Congregação dos Missionários Scalabrinianos, também chamados de Carlistas, cujo objetivo específico é a atenção pastoral dos migrantes e refugiados.

Scaravelli cursou filosofia na Universidade dos Jesuítas em Moema, cidade de São Paulo, e Teologia no Instituto Teológico de São Paulo, afiliado à Universidade de Santo Anselmo de Roma.

Durante esse período, nos fins de semana trabalhava na formação de comunidades Eclesiais de Base na Zona Leste, periferia de São Paulo, iniciando duas comunidades que hoje se tornaram paróquias, sendo uma delas a Igreja Santa Rosa de Lima.

Em 1981, foi ordenado diácono por D. Luciano Mendes de Almeida que está em processo de canonização no Vaticano, e em 17 de janeiro de 1982 foi ordenado Sacerdote. Ao todo foram 17 anos de estudos, desde o seminário até a conclusão dos cursos de Filosofia e Teologia.

Em 1982, começa sua trajetória como migrante Scalabriniano na Argentina, trabalhando inicialmente com imigrantes limítrofes na periferia de Buenos Aires, e logo com os cortadores de cana de açúcar no norte da Argentina, destacando-se pela organização de diversas atividades de promoção humana como cursos de corte-confecção, datilografia, jardim infantil, sindicato das empregadas domésticas, bibliotecas populares, organização de seminários estaduais sobre o tema migratório, entre outras iniciativas, em plena ditadura militar. 

Na Argentina, foi designado para trabalhar na província de San José, que abrangia a própria Argentina, Chile, Bolívia, Paraguai e Uruguai.

Em 1991 voltou para Buenos Aires para ser Secretário Executivo da Comissão Episcopal para a Pastoral dos Migrantes, Secretário Geral da Fundação Católica Argentina de Migração e Diretor da Agência de Proteção dos Refugiados em parceria com o governo argentino e o Alto-comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

Foi diretor da Revista “Migración Notícias” por oito anos e co-autor do livro “Hacia un Mundo sin Fronteras: Las Migraciones frente al Tercer Milênio”. Durante esse período trabalhou com o arcebispo de Buenos Aires Mario Jorge Bergoglio, que viria a ser Francisco, o 266º Papa e Chefe de Estado da Cidade do Vaticano.

Em 1999 foi eleito Superior Provincial dos padres Scalabrinianos exercendo o mandato por três anos.

Em 2002 foi designado para trabalhar nos Estados Unidos para abrir a missão com os brasileiros e hispanos em Orlando, Flórida. Em 2005 foi transferido para Massachusetts, para Everett, onde organizou o Scalabrini Center.

Em setembro de 2008 foi nomeado Diretor da Missão Católica Brasileira em Miami e em Margate – ambas na Flórida, fundou a organização Projeto de Assistência aos Imigrantes (PAIS) – Scalabrini”. Em 15 de setembro de 2011 retorna a Massachusetts como Pároco da Igreja São Tarcísio em Framingham, e reorganiza a comunidade.

Em janeiro de 2012 funda o Brazilian American Center (BRACE), uma destacada e proativa organização sem fins lucrativos cujo objetivo é promover o imigrante sem distinção de idade, raça, gênero, religião ou nacionalidade, resgatando seus valores e cultura e facilitando a sua integração na sociedade americana sem que perca a sua identidade.

Em 2020 com Eduardo Ribeiro funda a Scalabrini Web Radio e em 2021 propõe a fusão da Comunidade São Tarcísio com a Organização não governamental, Family Up Down para ajudar as crianças de língua portuguesa com necessidades especiais, seja no Brasil e as  que chegam como imigrantes na região de Boston.

Em julho de 2021, lança sua biografia intitulada ‘A vida de um padre. Seus sonhos. Seus demônios’. Em agosto de 2021, é designado pároco da St. Vincent Catholic Church em Margate, Flórida, onde ficou até a sua morte.

Uma das suas frases prediletas era: ‘Gaúcho bom não dobra a esquina quando vê o perigo’.

Foto da capa: Eduardo Ribeiro/A Notícia USA

Reportagem atualizada com novas informações na terça-feira, 3, às 7.11 AM

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *