O ano de 2021 está acabando e dentro de algumas dias ouviremos o povo cantando os versos de Adeus ano velho, feliz ano novo, muito dinheiro no bolso, saúde pra dar e vender! Para muita gente quando o ano velho vai embora, já vai tarde, no entanto, para outros não deveria ir nunca. Com ele vão as coisas velhas e o ano novo chega trazendo outros dias, semanas e novas perspectivas para ser vividas com intensidades diferentes por cada um.

Quem pode aproveitar os últimos dias no calendário de 2021, é hora de fazer um balanço do que representou de fato o ano para cada um. Sem dúvida que foi um ano de muito trabalho, de alguns espantos, privações, expectativa e o desejo de que as coisas voltem o mais rapidamente possível ao normal. A pandemia teima em não ir embora, causando transtornos e prejuízos imensos no mundo todo. Em acréscimo a tudo há o negacionismo dos que não querem se vacinar e é por isto que surgem novas variantes.

O ano de 2021 foi de reflexão para muita gente, hora de avaliar se vale de fato continuar por aqui ou ir embora para a realidade brasileira. Com a eleição de Joe Biden já não há tantas incertezas e a impressão que fica é a de que a tão sonhada e desejada reforma de imigração ainda não foi votada e aprovada por mero capricho de parlamentares que pensam nas suas convicções e projetos pessoais. 

2022 será de novo um ano atípico, primeiro por causa da Mundial do Catar, e a torcida é para que o Brasil vença e volte ao topo do futebol mundial, apesar de Tite. Já no campo político teremos a eleição mais polarizada de toda a história da democracia brasileira. Não ofenda que gosta do Lula, do Bolsonaro, do Moro e de qualquer outro candidato. Não brigue com a sua família, com os seus amigos ou mesmo com estranhos nas redes sociais por causa de qualquer um deles. Vote em quem se identifica com o seu pensamento e ponto de vista. Seja cordial, seja urbano, seja educado… 

Só que o ano novo nem sempre é vida nova. Certo? Errado. Ano novo, vida velha. Vida de luta e de labuta, vida de incertezas e de insegurança. O que acontecerá com toda a gente que está aqui trabalhando e lutando por um futuro melhor?

Logo as estações do ano se sucederão numa rapidez impressionante e estaremos no Natal novamente. Do ano velho restarão as velhas agendas que para nada servirão, as contas que devem necessariamente ser pagas, e as roupas novas logo serão usadas no dia a dia, num círculo vicioso e interminável. Para nós brasileiros será um ano de expectativas, afinal quem não tem um sonho ou um desejo para ser realizado quando o calendário indicar que é ano novo. 

Sempre é hora de refazer a vida, para quem perdeu alguma coisa, hora de pensar que o futuro não é mais amanhã, mas sim, daqui a pouco, pois neste tempo que passa literalmente voando não há espaço para lamentações e lamúrias, é cabeça erguida e mostrar que o brasileiro é um forte e não desiste nunca.

Não se esqueça da sua família, e do bem estar dela que começa necessariamente pela parte financeira, pois sem dinheiro você não vai poder fazer absolutamente nada. Planeje o seu ano a partir do que você ganha. 

Seja voluntário em causas sociais, faça o bem, contribua para alguma causa que você julgar importante. Podemos sugerir que seja um contribuinte da FamiliaUpdown & o Bom Tarcisio, que ajuda famílias que têm filhos com Síndrome de Down e autismo, entre outras patologias.

É muito importante que você fale a verdade, com os que estão próximos – e os que não estão também. Seja honesto, não guarde rancor e nem mágoa de ninguém.

Busque as melhores oportunidades que você possa ter de trabalho, de amizades, de estudar e de aprender cada vez mais, faça a diferença onde você vive e trabalha, seja uma boa influência em todos os aspectos. Tudo isto junto tornará 2022 mais fácil de ser vivido, aliás, faça dele o ano da sua vida.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *