Nos últimos tempos têm desembarcado na comunidade, brasileiros que outrora foram da classe média e que viram como única saída para o Brasil, os aeroportos do Rio de Janeiro e de São Paulo. São brasileiros com perfis diferenciados dos que chegaram há alguns anos. Tem também pessoas de cidades e regiões menores arriscando-se em uma perigosa travessia carregando junto a família e mesmo com todos os riscos não desanimam e nem esmorecem.

Qual é a identidade do brasileiro nos Estados Unidos, onde moramos? Sem dúvida alguma somos muitos de diversos lugares. Minas Gerais, Goiás, Paraná, Espírito Santo, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Rondônia, etc. Cada qual com suas características e peculiaridades, mas que sabem como ninguém enfrentar as adversidades, mas que ainda buscam uma identidade ante a sociedade americana.

Certamente uma das principais causas da falta de identidade é a ausência de documentos legais americanos, o que nos torna presas fáceis da exploração, principalmente no trabalho.

São muitas as consequências e uma delas é que a maioria dos indocumentados jamais poderão usufruir da tão sonhada aposentadoria aqui e tampouco se preocupam em pagar a previdência social no Brasil, para o caso de um dia precisarem voltar. Vivendo a margem da sociedade os brasileiros assim como outros povos não têm condições de aprender adequadamente o inglês, e muitos acabam esquecendo o português e não aprendendo – nunca o inglês, mesmo que muitas prefeituras e entidades ofereçam cursos gratuitos ou subsidiados, sendo este um dos fatores onde o brasileiro é mais explorado, pois se não fala o inglês as melhores posições de trabalho que estão a sua disposição vão para aqueles que dominam a língua com facilidade, e também a falta de acesso a educação que se torna frustrante com o passar do tempo.

Entre os problemas que assolam há a violência doméstica como uma das mais graves situações que assolam a comunidade brasileira em Massachusetts, que aliada à bebida torna-se numa forma do imigrante fugir da solidão e da saudade. O índice de suicídios na comunidade é alarmante, e para piorar ainda mais, há casos de overdose de drogas. Porém, o interessante por outro lado é a valorização da família, e o sofrimento de muitos por estar separados de cônjuges, filhos, pais e irmãos, o que faz com que muitos brasileiros se insiram no contexto americano ou busquem estar com outros que tenham as mesmas predileções como por exemplo os oriundos de uma mesma cidade que é um modo de se sentir protegido num círculo social por menor que seja.

Se há muitas pessoas querendo vir para os Estados Unidos, o que hoje é mais difícil e oneroso, principalmente nos últimos anos, há outras buscando informações sobre o Canadá, principalmente por causa de leis imigratórias mais brandas e pela espera infinitamente menor para a obtenção de documentação legal, mesmo que no Canadá a economia e os salários não sejam tão fortes e abundantes como nos Estados Unidos, mesmo neste instante de crise. O que tem atraído muitos brasileiros que estão nos Estados Unidos para o Canadá é a tranquilidade para criar os filhos e poder levar uma vida mais calma e segura, mesmo que haja uma minoria literalmente desesperada por fazer dinheiro.

Muitos querem cada vez mais se distanciar da comunidade brasileira, sem contudo, ignorar as suas raízes e a paixão pelo Brasil, mas optam por deixar o gueto e ser aceito na sociedade americana para se sentir num patamar acima dos outros brasileiros.

O fato de a sociedade americana ser composta na sua base por diferentes povos de várias nações e continentes facilita este processo, embora exista o conceito binário – brancos e negros – muito mais forte e arraigado do que no Brasil. Ressalte-se que o negro americano é infinitamente mais participativo, engajado e politizado do que o negro brasileiro, principalmente por ter sofrido preconceito durante décadas, onde foi visto como raça inferior.

Mesmo com todos os graves problemas sociais enfrentado o imigrante brasileiro sonha em construir algo aqui ou no Brasil, e para isto se submetem a condições totalmente desfavoráveis – o que dificilmente aconteceria no Brasil.

O grande desafio no entanto, tem sido das crianças que se deparam com uma realidade totalmente diferente daquela que muitos vivenciaram no Brasil. É muito comum os pais saírem para trabalhar e deixar os filhos por conta dos irmãos mais velhos que acabam se isolando de tudo e de todos, sendo que alguns têm de abandonar a escola. Mas há os destemidos que insistem e fazem a diferença, construindo uma identidade numa nação que optaram por morar e criar seus filhos.  

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *