O brasileiro Luiz Capuci Junior, 44 anos, foi denunciado na sexta-feira, 6, pelo Department of Justice de chefiar um esquema de fraude de investimentos que teria movimentado US$ 62 milhões, e o acusa de ter vendido fraudulentamente pacotes de mineração de criptomoedas para milhares de pessoas, causando-lhes prejuízo financeiro.

De acordo com os procuradores federais, Capuci que é o fundador e CEO da Mining Capital Coin (MMC) comercializava pacotes de mineração e prometia que os investidores obteriam lucros substanciais e que o dinheiro das aplicações seria usado para a mineração de novas criptomoedas. Ainda segundo os procuradores, Capuci teria desviado os valores que os clientes aplicavam para carteiras de criptomoedas que ele controlava.

O Department of Justice acusa Capuci de fraude eletrônica, conspiração para cometer fraude eletrônica de valores mobiliários, além de praticar lavagem de dinheiro internacional, e que pode gerar condenações totais máximas de 45 anos de prisão.

Além da acusação do Department of Justice, Luiz Capuci Junior, enfrenta outra acusação da Securities Exchange Commission (SEC), junto com Emerson Souza Pires, outro brasileiro que seria seu sócio de terem feito vendas fraudulentas de planos de investimento que seriam os pacotes de mineração para milhares de investidores.

De acordo com a SEC, Capuci e Pires venderam desde meados de janeiro de 2018, pacotes de mineração fraudulentos para cerca de 65.535 investidores em todo o mundo, prometendo retornos diários de 1%, que eram pagos semanalmente durante um período de até 52 semanas – um ano.

A SEC afirma que a Mining Capital Coin, prometia retorno em bitcoin aos seus investidores, mas posteriormente exigiram que seus clientes retirassem seus investimentos em Capital Coin (CPTL), que eram tokens em criptomoeda da MCC. No entanto, quando tentavam resgatar seus investimentos, enfrentavam problemas e para não perder dinheiro eram obrigados a comprar outro pacote de mineração.

Luiz Capuci Junior e Emerson Souza Pires que teriam arrecadado cerca de US$ 8,1 milhões com as vendas de pacotes de mineração e outros US$ 3,2 milhões com taxas iniciais, são acusados pela SEC de violação das disposições de registro antifraude e busca na Justiça meios legais contra futuras violações legais de valores mobiliários, restituição de ganhos ilícitos dos réus e penalidades contra ambos. A SEC proibiu a MCC de continuar oferecendo seus serviços para qualquer pessoa nos Estados Unidos. Os bens e dinheiro de ambos entre outras medidas, estão congelados. Os valores arrecadados por Capuci e Pires, servia para financiar um estilo de vida luxuoso, que incluiu a compra de carros esportivos da Lamborghini, iates, imóveis e artigos de luxo.

As acusações da SEC abrange a MCC International Corp (MCC) que atua como a Mining Capital Coin Corp que foram fundadas por Capuci e Pires e a CPTLCoin Corp (CPTLCoin) e Bitchain Exanges (Bitchain), que são controladas por Capuci.

As informações desta reportagem são do Department of Justice e da Securities Exchange Commission. 

Foto da capa: reprodução

One thought on “Brasileiros são acusados de fraude milionária em criptomoedas”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *