Quando se trata de seguir um método a ser adotado para controlar o plano de gastos para o seu dinheiro, o que chamamos de orçamento que em inglês é conhecido como Budget, ou o ato constante de Budgeting, existem vários caminhos e métodos a serem seguidos.

Um dos mais simples, prático e eficaz de se implementar e método da regra 50/30/20. Este método foi que foi popularizado pela Senadora de Massachusetts Elizabeth Warren em seu livro All Your Worth: The Ultimate Lifetime Money Plan, escrito em co-autoria com sua filha Amelia Warren Tyagi – que simplifica o processo de elaborar um orçamento eficaz e de fácil continuidade a longo prazo. 

Este processo para criar um orçamento ou plano de gastos para a sua vida é um dos fundamentos mais básicos de obter liberdade e solidez financeira. Ao criar e implementar um budget adequado, você conquistará a liberdade de viver o hoje dentro das suas condições financeiras, na maioria das vezes com qualidade e responsabilidade, sem comprometer a construção do seu futuro em termos de aposentadoria, e segurança financeira na velhice. 

Então, Ana como funciona a regra 50/30/20 e como implementá-la? É a pergunta que sempre ouço. Minhas respostas estão a seguir.

O primeiro passo é saber quanto você traz para casa depois de pagar seus impostos. Se você é autônomo, o que recebe de cada trabalho ou cliente é chamado a sua renda bruta, o que não significa que pode gastar todo ele. Em cima desse valor terá que pagar suas responsabilidades tributárias. Então tire no mínimo 15%-20% do que você recebe de cada serviço ou cliente e coloque em uma conta poupança separada, pois este dinheiro não é seu, é do governo e suas responsabilidade de imposto no final do ano. 

A sua renda bruta menos as suas obrigações de imposto é o chamado renda líquida, net income ou seja, o que você realmente leva para casa. Se você trabalha para uma empresa e está na folha de pagamento, os impostos geralmente são retidos na fonte, fazendo com que o que você recebe seja neste caso a sua renda líquida. 

Agora você sabe o quanto leva para casa, ou seja a sua renda líquida, e então agora pode começar a observar de que forma gasta e o que pode fazer para tornar o seu orçamento mais saudável. Coloque no papel todos os seus gastos, todas as contas que tem que pagar, das maiores até as menores, sem esquecer ou deixar de lado algumas, com a desculpa de serem insignificantes e até o gasto com o cafezinho tem que ser contabilizado. 

Agora separe as suas despesas em três colunas: 

O que PRECISA, ou MUST HAVE – Deve representar 50% do seu orçamento
São aquelas despesas realmente necessárias para viver, como por exemplo: o mortgage ou aluguel, comida, utilidades, transporte, seguros, prestação de carro, etc. Nesta categoria, geralmente entram as contas fixas e que não mudam muito todos os meses. 

O que QUER, ou NICE TO HAVE  – Deve representar 30% do seu orçamento
Aquelas despesas que são responsáveis pelo seu padrão de vida, se não tiver compromete a sua sobrevivência, mas que aumentam a sua qualidade de vida. Alguns exemplos: entretenimento, viagens, esportes, hobbies, atividades extra curriculares, comer em restaurantes, carro extra, roupas e acessórios extras, subscrições de magazines, aplicativos ou serviços, enfim, tudo aquilo que se for cortado do seus gastos não irá comprometer a sua sobrevivência.

É interessante aqui observar que às vezes pode-se ter conceitos invertidos sobre aquilo que é necessário e precisa versus aquilo que você quer. Definir claramente estas duas categorias ajuda muito no processo de colocar o seu orçamento em ordem e sustentável. 

Este segmento dos 30% é o mais flexível, se você não consegue colocar suas despesas necessárias em 50% do seu orçamento, terá que tirar dos 30% do pote do que você” quer”. Os seus 20% do futuro não devem ser comprometidos, e devem ser priorizados mesmo que se tenha que fazer ajustes e tomada de decisões não muito prazerosas no hoje. 

O seu FUTURO, FUTURE HAVE – Deve representar 20% do seu orçamento
Tudo aquilo que você paga que vai para construir o seu pé de meia, como dizemos no bom português! A contribuição na sua aposentadoria privada, a prestação daquela casa de investimento, o plano de economia para faculdade do seus filhos, aquele dinheiro que você envia para o Brasil para comprar um imóvel, aquele investimento no mercado financeiro, todas as economias que são destinadas ao futuro. E esta é a grande razão de se viver dentro de um orçamento disciplinado, para que você possa viver o hoje com qualidade, sem comprometer o seu futuro. 

Estes percentuais são o ideal para um orçamento sustentável e saudável, mas se na sua análise estes percentuais forem bastante diferentes, procure a ajuda de um financial advisor, licenciado e com a responsabilidade fiduciária.

Comece com passos pequenos e continue firme neste processo de responsabilidade e autonomia financeira, o maior beneficiado de tudo isso será você! A tranquilidade de se viver em um orçamento responsável garante a realização de seus sonhos e objetivos a médio e longo prazo. 

Ana Claudia Panori

By Ana Claudia Panori

Ana Claudia Panori é conselheira financeira licenciada - financial advisor, membro MDRT e NAIFA, palestrante certificada em financial Wellness on workplace. Trabalha na Prudential Financial e desenvolve há anos um longo trabalho de educação financeira junto à comunidade brasileira. É representante da pasta de Empreendedorismo e Finanças do Conselho de Cidadãos de Boston, além de ser voluntária em diversas causas sociais. Contato: 508.353-9340. Instagram: anaclaudia7835

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *