Setembro é conhecido na indústria financeira como o mês de conscientização da importância de se ter um seguro de vida (LIAM – Life Insurance Awareness Month). Esta campanha é liderada pela organização sem fins lucrativos Life Happens, que desde 2004, juntamente como o suporte de toda a indústria financeira, todas estas instituições se unem em uma campanha educacional sobre a importância de se ter um seguro de vida e o papel que este tem na segurança financeira sua de sua família. 

Ter um seguro de vida é um ato de amor. 

O primeiro propósito de se ter um seguro de vida e a proteção financeira, de suas despesas finais de forma digna e da sobrevivência da sua família ou dependentes financeiros.

É a certeza de que independente do que acontecer na vida, os sonhos que você tem para sua família poderão ser conquistados, as crianças poderão crescer na mesma casa, indo para a mesma escola, não irá faltar dinheiro para pagar o aluguel, o mortage, as necessidades básicas, como comida e saúde, juntamente com a possibilidade de seus filhos irem para uma faculdade com o seu suporte, como você sonha. 

Hoje em dia também é um ato de planejamento de proteção não somente para sua família, mas de planejamento da sua vida futura, pois existem apólices de seguro de vida, que quanto mais anos você viver, mais dinheiro você irá acumular dentro deste contrato, para poder ajudar a desfrutar sua vida no futuro. Como vários clientes gostam de dizer ”é um seguro de vida para você viver!” 

Se algo acontecer prematuramente sua família estará protegida, mas o planejamento é para que você possa desfrutar deste benefício de alguma forma em vida, seja através de uma doença crônica, seja através do dinheiro acumulado dentro deste contrato na sua aposentadoria. É um ganho no planejamento financeiro que ajudam famílias e indivíduos em momentos de extrema necessidade. 

Uma das coisas que mais aprendemos durante esta pandemia é que a vida é frágil, que as situações podem mudar da noite para o dia, e que é importante se preparar para o inesperado. Com esta perspectiva em mente, este sentimento está sendo bastante comum durante a pandemia do Covid-19, aumentando portanto a procura e conscientização sobre o papel do seguro de vida na segurança financeira de sua família. 

Pesquisas feitas pela Life Insurance Marketing and Research Association (LIMRA) mostram que 36% das pessoas pretendem fazer um seguro de vida este ano. E 48% dos Millennials disseram que irão obter cobertura apropriada.

Isso é extremamente importante, visto que pesquisas feitas pela mesma entidade mostram que 42% das famílias iriam ter dificuldades de sobrevivência financeira em seis meses, se o provedor financeiro viesse a falecer inesperadamente – 25% das famílias iriam sofrer catástrofe financeira em um mês. 

Esta realidade é ainda mais acentuada na comunidade brasileira, visto que muitos vivem de paycheck to paycheck e não possuem reserva de emergência necessária e muito menos recursos para manter a família fora da catástrofe financeira se algo trágico acontecer. 

Sei que existem tabus em nossa cultura sobre conversas em relação a planejamentos como este, mas precisamos educar e informar sobre os benefícios de se ter um seguro de vida, para que possamos desmistificar e quebrar esses tabus culturais e planejar para que nossos sonhos sejam conquistados e realizados, mas também nos preparar financeiramente para acontecimentos e situações inesperadas. 

Refiro-me ao seguro de vida como o coringa (do baralho) no seu planejamento financeiro. Ele pode ajudar desde o propósito básico de garantia de sobrevivência e segurança financeira da sua família, como preservação e proteção de patrimônio, no caso de proteção da hipoteca, passando pela habilidade de investimento com taxação favorável, como planejamento de aposentadoria e benefícios em vida com, como colateral de empréstimos e soluções de planejamento empresariais, até chegar no mais complexo que é planejamento de herança e legado. Este é um dos únicos veículos financeiros de herança sem consequência de impostos, se planejado apropriadamente. 

Deixo o meu alerta para que possamos ajudar a proteger as nossas famílias imigrantes brasileiras de uma forma sólida e sustentável, não somente com ajudas de GoFundMe para despesas finais, mas para que as famílias fiquem amparadas com pelo menos o básico de segurança financeira. 

Para que você possa ter mais informações e saiba quais são as opções ideais para suas necessidades individuais, é muito importante procurar a ajuda de um profissional licenciado, pois as opções são muitas e é importante que as soluções venham de encontro aos seus objetivos a médio e longo prazo. 

O mais importante é lembrar que o seguro de vida deve ser algo que caiba no seu bolso, pois são estratégias para longo prazo e tem que estar confortável no seu orçamento. Este seguro muitas vezes é mais barato, do que o seguro do seu carro, dependendo de alguns fatores, como idade, saúde, e alguns outros fatores. 

Você está acostumado a ter seguro na sua casa, no seu carro e muitas vezes até no seu celular, por que não pensar na proteção mais importante que é a da sua vida como provedor financeiro de si mesmo e de sua família, pois tudo o mais depende disso. 

Se você já tem um seguro de vida, é importante que este seja reavaliado no decorrer dos anos, para ter certeza que se alinha com suas expectativas financeiras. A análise criteriosa pode ser um fator importante para ter certeza que você está no produto e estratégia correta e que está continua sendo a melhor opção para a sua situação particular. 

Ana Claudia Panori

By Ana Claudia Panori

Ana Claudia Panori é conselheira financeira licenciada - financial advisor, membro MDRT e NAIFA, palestrante certificada em financial Wellness on workplace. Trabalha na Prudential Financial e desenvolve há anos um longo trabalho de educação financeira junto à comunidade brasileira. É representante da pasta de Empreendedorismo e Finanças do Conselho de Cidadãos de Boston, além de ser voluntária em diversas causas sociais. Contato: 508.353-9340. Instagram: anaclaudia7835 *Este texto não reflete, necessariamente, a opinião de A Notícia USA

Leave a Reply

Your email address will not be published.