A violência doméstica não respeita classe social, credo religioso, estudo acadêmico, profissão e está presente diariamente em todos os estratos sociais. Nos Estados Unidos, mais de 10 milhões de adultos sofrem violência doméstica anualmente e se cada um destes adultos experimentasse apenas algum tipo de violência incidental, sofreria abusos físicos a cada três segundos.

Uma em cada quatro mulheres e um em cada 10 homens sofrem violência física, violência sexual e perseguição de um parceiro íntimo durante a vida. Estão incluídos nestes números os casais do mesmo sexo.

Uma em cada cinco mulheres e um em cada 20 homens precisam de cuidados médicos pós-agressões físicas. Se um agressor tiver acesso a uma arma de fogo, o risco de feminicídio por um parceiro aumenta em 400%.

Em um dia típico, as linhas diretas de entidades que prestam assistência contra a violência doméstica nos Estados Unidos recebem mais de 19 mil chamadas telefônicas em busca de ajuda.

Notoriamente, há abusadores masculinos e femininos, mas a predominância de agressores é de homens e a pergunta que se faz é até quando ou quantas mulheres mais terão de morrer nas mãos de homens transtornados que resolvem diferenças com suas mulheres e parceiras na violência e na força bruta?

Nas agências e entidades que ajudam e auxiliam mulheres que são vítimas de violência doméstica, as histórias de acumulam aos milhares e é preciso coragem e destemor para buscar ajuda para se livrar do ciclo pernicioso das agressões, da pancadaria, da força bruta e de tudo aquilo que serve para humilhar e diminuir a mulher diante da sociedade.

Milhares de mulheres e também homens, sofrem calados por causa da violência doméstica e do abuso emocional. Religião também não é álibi para evitar violência doméstica, já que tanto Nathália quanto Emerson eram tidos como religiosos e isto não evitou mais uma tragédia.

Recomendações
– Leve a sério todas as ameaças que ex-companheiros, maridos, namorados fizerem;
– Junte provas como mensagens de texto, e-mails e busque orientação legal para gravar ameaças telefônicas;
– Busque ajuda se sentir que sua integridade física e emocional estiver ameaçada
– Peça às autoridades uma restraining order;
– Não se intimide com ameaças e tentativas de agressão; denuncie quem faz isto;
– Nunca retalie ou use de força para responder a qualquer agressão física, verbal e/ou psicológica;
– Não importa a sua condição ou status imigratório; você têm direitos;
– Busque conselho legal sobre como se livrar dos abusos

Abuso emocional
O abuso emocional pode se caracterizar de diversas formas e modos. Um deles é a humilhação constante do cônjuge, namorado/a ou companheiro/a. Pode envolver questões financeiras e comportamental. O assédio moral é uma das características de abusadores emocionais que agem sempre no sentido de diminuir a outra pessoa.
– Falas pejorativas como: ‘Você é gorda’; ‘Você é uma porca’; ‘Preguiçosa’; ‘Fracassado’; ‘Incapaz’
– Diminuição moral da esposa/o na frente dos filhos e dos amigos;
– Apelidos e nomes depreciativos;
– Chacotas e exposição a situações constrangedoras;
– ‘Lugar de mulher é na cozinha’; ‘Mulher só serve para lavar roupa’; ‘Toda mulher é burra’, etc;
– Menosprezo pelas qualidades e conquistas da/o outra/o pessoa;
– Quando confrontados/as dizem que tudo é brincadeira;
– Busque ajuda para se livrar do abusador/a emocional

Como obter ajuda contra a violência doméstica e o abuso emocional no Estado de Massachusetts? Há uma série de entidades que prestam ajuda e atendimento para vítimas de abusos físicos, sexuais e emocionais cometidos por parceiros íntimos.

A Massachusetts Alliance of Portuguese Speakers (MAPS), que tem sede em Cambridge e escritórios em Brighton, Dorchester, Framingham, Lowell e Somerville. As assistentes sociais da MAPS disponibilizam intervenções em crises, elaboração de planos de segurança, informação, encaminhamentos guiados, ajuda para obtenção de atendimento médico e jurídico, apoio emocional e demais serviços na área de violência doméstica e sexual. O telefone da MAPS em Cambridge é 617.864-7600.

Se você sofrer qualquer tipo de agressão física ou ameaça à sua integridade física ligue imediatamente para o 9-1-1.

Imagem meramente ilustrativa

Jehozadak Pereira

By Jehozadak Pereira

Jehozadak Pereira, é jornalista profissional especializado em jornalismo comunitário e produção de conteúdo informativo e de utilidade pública. É ganhador de inúmeros prêmios e reconhecimentos pela qualidade do seu trabalho comunitário e voluntário. É o editor-chefe e principal articulista do A Notícia USA.

Leave a Reply

Your email address will not be published.