Do mesmo modo como há milhões de trabalhadores brasileiros que lutam honestamente para ganhar o pão de cada dia, em contrapartida há algumas dezenas de malandros brasileiros que querem ganhar seu dinheiro as custas do alheio e que via de regra acabam se dando mal, indo parar na cadeia mais próxima para purgar os seus erros. Se é que se arrependem de ter errado.

Em 2021, para muitos deles chegou a hora do ajuste de contas com a Justiça americana, dura e ao mesmo tempo fria nas artes de colocar atrás das grades quem comete delitos, fazendo-os pagar pelos seus pecados legais. Quadrilheiros como Wemerson Dutra Aguiar – na foto da capa e Marcio Costa, estão presos e com julgamentos e sentenças pendentes, são alguns exemplos de como os malandros que se julgam acima de tudo e de todos, acabam presos cedo ou tarde.

Confira como alguns dos malandros brasileiros se deram mal e estão pagando as suas dívidas com a Justiça.

Marcio Costa, o ‘Marcinho’ é apontado como o líder do PCM

Um dos casos mais rumorosos foi o do Primeiro Comando de Massachusetts (PCM), uma gangue de brasileiros que surgiu no Estado em 2017 e em 2018, começou a ser investigada pelas autoridades e suas ações eram cruéis e envolviam crimes violentos, venda ilegal de armas e de fogo, tráfico de drogas, assaltos à mão armada, roubo, sequestros e extorsão, entre outros crimes em diversas comunidades e cidades incluíndo Boston, Malden, Everett, Somerville, Framingham e Peabody, entre outras localidades. O bando era chefiado por Marcio Costa, o ‘Marcinho’,  conhecido pela sua violência e crueldade. O PCM foi enquadrado na Lei RICO – RICO LAW – (Racketeer Influenced Corrupt Organization Act, ou, em português, Lei Federal das Organizações Corruptas e Influenciadas pelo Crime Organizado), que foi usada a primeira vez em 1970 e a lei é empregada para impedir atividades de cartéis e de máfias. Um a um, os seus integrantes vão sendo condenados. 

Breno Henrique da Silva, 22 anos,  foi condenado a uma pena de nove anos de prisão, em abril de 2021. Alvaro dos Santos Melo, 22 anos, foi condenado a uma pena de prisão de quatro anos, e sua sentença foi anunciada em maio de 2021. João Pedro Marques Gama, o ‘Baianinho’, 23 anos, foi condenado a uma pena de prisão de quatro anos e meio. Vinícius de Assis Gonçalves, 23 anos, foi condenado a uma pena de sete anos e três meses de prisão, em maio de 2021, todos integrantes do PCM. Outras sentenças dos membros da gangue estão agendadas.

Vanderlei Rodrigues de Araújo, o ’Neneco’, 43 anos, foi condenado em janeiro de 2021 a uma pena de um ano e meio de prisão por posse ilegal de arma de fogo, munição e reentrada ilegal nos Estados Unidos. Neneco, teria vendido irregularmente duas pistolas semiautomáticas e munições.

Diego Evangelista da Silva, 33 anos, está preso desde maio de 2020, e em agosto de 2021, admitiu culpa por roubo a mão armada, a uma loja de conveniência em East Boston, Massachusetts, e em outros 12 assaltos em farmácias, postos de gasolina, lojas de conveniência e supermercados. Silva pode ser condenado a uma pena de até 20 anos de prisão.

A cafetina Geralda Garland, foi indiciada por prostituição e tráfego de pessoas

A brasileira Geralda Garland, 57 anos, foi indiciada em setembro por tráfico de diversas vítimas para prostituição. Geralda Garland, havia sido presa em abril de 2021 por tráfico de pessoas para escravidão sexual, prostituição, lavagem de dinheiro e conspiração em uma operação que envolveu o Gabinete da procuradora geral, a Massachusetts State Police, a polícia de Revere e o U.S. Department of Homeland Security Investigations (HSI).

Wemerson Dutra Aguiar, 25 anos; Priscila Barbosa, 35 anos; Edvaldo Rocha Cabral, 41 anos; Clovis Kardekis Placido, 37 anos; Bruna Peixoto Colaço Ramos, 31 anos; Thiago de Souza Prado, 37 anos; Luiz Narciso Alves Neto, 36 anos; Bruno Proencio Abreu, 28 anos; Oliver Felipe Gomes de Oliveira, 33 anos; Waldemy Jorge Lima Wanderley Junior, 32 anos; e Alessandro Felix da Fonseca, 25 anos, todos residentes no Estado de Massachusetts, além de Altacyr Dias Guimarães Neto, 34 anos, residente na Flórida; Philipe do Amaral Pereira, 37 anos, residente na Califórnia e Saulo Aguiar Ponciano, 33 anos, residente Illinois, foram indiciados pela segunda vez em setembro um volumoso processo federal de roubo de identidades para abrir contas fraudulentas em aplicativos de transportes, compras e entregas que eram vendidas ou alugadas para imigrantes indocumentados e portanto, impedidos legalmente de trabalhar. Wemerson Dutra Aguiar é tido como um dos líderes da gangue de brasileiros, que foram presos em maio deste ano.

João Djalma Prestes Junior, que se apresenta também com ‘João Pereira’, 48 anos, foi condenado em 27 de setembro, pela justiça federal dos Estados Unidos em New York a uma pena de quatro anos de prisão por fraudes financeiras de aproximadamente US$ 15 milhões. João Djalma Prestes Junior tem uma longa ficha criminal no Brasil por crimes semelhantes e é acusado de estelionato, crimes contra o sistema financeiro brasileiro e formação de quadrilha, tendo sido acusado pelo Ministério Público do Estado de São Paulo de ter lesado pelo menos 26 empresas de vários estados. Um dos golpes aplicados por Prestes Junior que é fugitivo da Justiça brasileiro é o debêntures que provocou milhões de reais em prejuízo em Santa Catarina, São Paulo e outros estados brasileiros. 

Uma força-tarefa de caça a fugitivos do U.S. Marshals, prendeu em outubro em Kissimmee, Flórida, Anderson Pereira, 42 anos, acusado de assassinar Zakhia Charabaty, 52 anos, em 12 de março de 2020, em Manchester, New Hampshire. Charabaty havia desaparecido no dia da sua morte e seu corpo descomposto foi descoberto em 9 de julho daquele ano enterrado em um terreno em Methuen, Massachusetts. Anderson Pereira, está sob custódia policial e será extraditado para New Hampshire onde será julgado por assassinato em primeiro grau.

Vagner Sozi foi indiciado por fraude federal

Vagner Sozi, 33 anos, foi condenado em 8 de dezembro, por roubo de identidade e fraude financeira contra o Pandemic Unemployment Assistance (PUA), um programa federal que oferece benefícios para pessoas que foram afetadas pelo desemprego, na pandemia de Covid-19. Sozi, foi sentenciado a uma pena de três anos e três meses de prisão além de dois anos de liberdade condicional, e a ter de restituir cerca de US$ 110 mil.

Mauredson Chaves, 40 anos, foi condenado no dia 10 de dezembro pela justiça de Connecticut, a uma pena total de 30 anos, dos quais terá que cumprir 16 anos, por ter violentado pelos menos três crianças em Ansonia. Em fevereiro de 2019, Chaves foi flagrado quando estuporava uma criança que tinha na época quatro anos de idade.

Flávio Candido da Silva, 36 anos, morador em Malden, Massachusetts, declarou-se culpado na corte distrital federal de Boston, no dia 17 de dezembro, de uma acusação de conspiração para cometer fraude eletrônica e uma outra acusação de roubo de identidade qualificado. A sentença de Flávio será proferida no dia 22 de abril de 2022.

 

Jehozadak Pereira

By Jehozadak Pereira

Jehozadak Pereira, é jornalista profissional especializado em jornalismo comunitário e produção de conteúdo informativo e de utilidade pública. É ganhador de inúmeros prêmios e reconhecimentos pela qualidade do seu trabalho comunitário e voluntário. É o editor-chefe e principal articulista do A Notícia USA.

Leave a Reply

Your email address will not be published.