Um dos piores momentos que o ser humano pode passar não é um momento de perdas financeiras, perdas materiais. Um dos piores momentos de nossa vida é quando perdemos a auto-estima.

Cada um de nós nasceu com uma missão. Não somos filhos do acaso. Quando ocorreu a fecundação do óvulo de sua mãe com o sêmen de seu pai, você já se tornava um milagre.

A vida começa com este incrível momento da fecundação de duas pequenas unidades: entre muitos sêmens o que geraria você chegou primeiro. Na primeira maratona da vida você já foi selecionado, um ser minúsculo já era uma pessoa.

Depois lá se vão 38 a 40 semanas mais ou menos e o milagre da vida vai crescendo, vai tomando forma, e aí vem o milagre do nascimento!

Toda  sua vida tem tudo a ver com este momento sublime: nasceu um novo ser! 

E vamos tomando ciência de nossa vida. Alguns são privilegiados com uma família estruturada. Não são os bens que fazem uma pessoa ser classificada como privilegiada ou feliz. É o ambiente. É como esta família se relaciona. É como você é aceito ou rejeitado.

Então suas possibilidades de sucesso vão depender de como seu emocional é estruturado através do contato com os seus mais próximos seres humanos. A ciência diz que os quatro anos iniciais de um vida são fundamentais para a construção de uma pessoa feliz.

O que se espera é que todos tenhamos a oportunidade de nos realizarmos com a vida. Não importa onde você mora: que planos financeiros você tem. Importa quanto você é amado.

E, quando descobrimos que não somos amados e nem somos bem-vindos, começa dentro de nosso emocional, de nosso psiquê, um  processo infeliz de destruição de nosso equilíbrio enquanto pessoa e começa a perda da auto-estima. 

O amor é fundamental para que sejamos felizes. O amor é fundamental para que possamos transferir para os nossos descendentes, a alegria de viver.

Quando não há amor, o que temos é o caos moral, social e psíquico. e pior, quando não somos amados, quando somos rejeitados, geralmente transferimos para o próximo toda a nossa amargura e infelicidade.  

O grande desafio é o de sermos semeadores de vidas equilibradas. De percebemos que muitas terapias começam com um abraço e uma palavra estimuladora de esperança…

Imagem meramente ilustrativa

Doriscelio de Souza Pinheiro

By Doriscelio de Souza Pinheiro

Doriscelio de Souza Pinheiro, é carioca de São Fidelis e mora em Volta Redonda, Rio de Janeiro. É pastor Batista desde 1971; professor de História no Ensino Médio, Sociologia e Filosofia. É teólogo; pós graduado em Metodologia no Ensino Superior; Pedagogo; Mestre em Teologia; Psicanalista; pós graduado em Ensino de Sociologia e Filosofia e pós graduado em Psicopedagogia. É cronista e poeta

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *