Para a liberdade foi que CRISTO vos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais de novo a nenhum jugo de escravidão”, apóstolo Paulo na carta aos Gálatas 5.1.

Somos desafiados a fazer escolhas enquanto caminhamos aqui neste lindo Planeta Terra. Na verdade, cada vez que fazemos escolhas, limitamos nossa liberdade. Nos tornamos reféns de nossas escolhas.

No capítulo 24, versículo 15 do livro de Josué, o líder do povo hebreu deixa sua mensagem: “Escolham vocês quem vão servir. Eu e minha casa, serviremos ao SENHOR”. Josué lembra que escolhas determinam nosso caminhar. Resultados positivos só os temos quando fazemos decisões sábias. 

Quando eu estudava na Universidade Federal Fluminense, temia muito o caminho diário que fazia da Colina do Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, na Tijuca, Rio de Janeiro até a Sede da UFF na Praia de Icaraí, Niterói. Muitas manifestações. Muita correria. Muitas ameaças.

Então eu fiquei temeroso e, sozinho, sem ouvir ninguém, tomei a decisão de não encerrar o meu curso em 1969. Eram os infelizes anos de chumbo da ditadura, porém eu tomei uma decisão precipitada. Era o meu último ano no Curso de História da UFF.

Tomada a decisão, sempre recebemos dádivas das nossas boas escolhas ou, o peso de arcarmos com as consequências infelizes de decisões tomadas apressadamente. Lembrem-se sempre: nós somos reféns de nossas escolhas e, quanto mais precipitados formos, mais ameaçados seremos… Más escolhas sempre nos levam a resultados desastrosos. E, nos atrasam na caminhada.    

Há uma outra tendência quando fazemos más escolhas: sempre procuramos um culpado. Este culpado nem sempre somos nós mesmos e quase sempre são os outros. Feita a decisão, nem sempre enfrentamos com maturidade a situação.    

Na dúvida, repense. Na dúvida, pare!  

Que DEUS nos ajude na tomada de decisões sábias e maduras. 

Por vezes vamos precisar tomar decisões radicais: voltar à estaca zero. Refazermos nossa caminhada. Pode parecer perda de tempo mas, nunca caminhe na dúvida: havendo dificuldade de vislumbrar resultados adequados, reavalie, analise, ouça os conselhos e, se preciso, comece tudo de novo, dentro de uma perspectiva mais segura.

O que interessa é que nunca desistamos de caminhar. Avalie. Recomece. Faça tudo de novo. Porém, não desista NUNCA!

                   

Outro detalhe interessante: pare de se fazer vítima! Pare de culpar os outros! Pare de se avaliar incompetente! TENTE! Não crie obstáculos onde não os há.

Disclaimer
“All opinions and commentaries expressed by the participants in this interview are solely their personal current opinions and comments and do not reflect the opinions of A NOTICIA USA, their employees, business partners, directors, or affiliates, and may have been previously disseminated by them. The interview participants` opinions are based upon information they consider reliable, but neither A NOTICIA USA nor its affiliates, warrant its completeness or accuracy, and it should not rely upon as such”.

Doriscelio de Souza Pinheiro

By Doriscelio de Souza Pinheiro

Doriscelio de Souza Pinheiro, é carioca de São Fidelis e mora em Volta Redonda, Rio de Janeiro. É pastor Batista desde 1971; professor de História no Ensino Médio, Sociologia e Filosofia. É teólogo; pós graduado em Metodologia no Ensino Superior; Pedagogo; Mestre em Teologia; Psicanalista; pós graduado em Ensino de Sociologia e Filosofia e pós graduado em Psicopedagogia. É cronista e poeta