Olá, empreendedores, eu sou o Professor Clóvis Castelo Júnior especializado em gestão e negócios e está é a coluna Negócios & Empreendedorismo do portal anotíciausa.com

Qualquer pessoa, em alguma época da vida, pode entrar em um ciclo de frustração onde, mesmo com boa vontade e foco, as coisas parecem ficar estagnadas e nenhuma ação parece ser bem-sucedida. Em momentos como esse, há métodos e ferramentas de desenvolvimento profissional capazes de ajudar o indivíduo a tomar decisões, se manter motivado e alcançar suas metas e seus objetivos. Este são os casos do coaching e o do mentoring.

Cada um desses métodos se apresenta como uma valiosa técnica, capaz de auxiliar as pessoas no dia a dia e lhes garantir mais qualidade de vida. A principal dúvida na hora de escolher por qual caminho seguir é entender o que cada um deles pode fazer por você e, principalmente, quais são as diferenças entre um processo de coaching e o de mentoring.

Ambas as técnicas parecem remeter aos mesmos significados, mas não se engane: são várias as diferenças desde os papéis e funções das pessoas envolvidas nos processos, até as metodologias empregadas e os resultados alcançados. Resumindo, os dois conceitos conduzem à finalidades próximas, que é desenvolver o máximo potencial do cliente e que ele alcance o seu objetivo, mas tem abordagens diferentes.

De forma ampla, no coaching tem seu foco direcionado para a ação e para a concretização dos resultados, envolvendo o presente e o futuro. O mentoring está mais direcionado para a transferência de conhecimentos visando o desenvolvimento de carreira, abrangendo passado, presente e futuro quem passa pelo processo. 

Mas, qual serviço devemos procurar? Qual deles é o mais indicado em um certo momento de nossas vidas? É sobre isso que vamos conversar a partir de agora. 

O coaching consiste de dois papéis bem claros: o coach – o “treinador” e o  coachee – o treinando ou o “cliente”. Trata-se de um processo pró-ativo e de mão dupla onde o coach  irá auxiliar o seu coachee a sair de sua  atual situação para o estado futuro desejado. Para isso, utiliza estratégias que promovam maior empenho, foco e ação. Em conjunto, irão definir um plano de ações para que as metas sejam alcançadas num prazo pré-definido (em geral em ciclos de 8 a 12 sessões, semanais ou quinzenais). 

O processo consiste essencialmente em um diálogo que envolve o coachee e o coach num contexto produtivo e orientado a resultados. O que o coach faz é utilizar ferramentas apropriadas para facilitar o processo de reflexão de seu coachee que deverá agir de forma assertiva e concretizando os seus objetivos, seja na vida pessoal ou na carreira profissional

 O coaching é uma metodologia que maximiza resultados que transformem a vida de uma pessoa em curto prazo, sendo um dos objetivos buscar a autonomia do indivíduo.

Uma particularidade: o coach não precisa de ter necessariamente experiência na área profissional do seu coachee e nem precisa ter algum curso superior, na verdade.  Mas é importante ser credenciado e possuir certificados de que frequentou algum centro de formação reconhecido). Tampouco, não é a sua função aconselhar e dar soluções para os problemas do coachee. 

Deve-se salientar que o coaching não deve ser confundido com a consultoria em gestão de carreira, que  destina-se a apoiar os desempregados a encontrar um novo emprego e a recolocar ativos nos quadros das empresas.

Coaching também não é psicoterapia, embora muito coaches possam ter a formação em psicologia, A terapia é um tratamento clínico que busca a cura por meio da resolução de problemas mais profundos, normalmente com origem no passado que afetam o presente; inclusive  só pode ser aplicada por profissionais especializados e certificados oficialmente (como psicólogos e psiquiatras). As duas técnicas têm semelhanças entre si, e a indicação de sua aplicação varia de acordo com as necessidades de cada pessoa.

O mentoring, ou em português mentoria (também conhecida por “apadrinhamento”), é uma relação entre duas pessoas, onde uma delas possui menos experiência (é, geralmente, mais jovem), ingressando em um segmento, função ou empresa e é orientada por uma pessoa mais experiente (geralmente mais velha) , que irá partilhar os seus conhecimentos e experiências, orientando e aconselhando o desenvolvimento da carreira.

O mentor (a pessoa mais experiente) ajudará o mentorado a aprender e a crescer numa relação de compromisso, que pode ser formal ou informal.

O mentor possui uma larga bagagem profissional, visto que já passou por diversas situações de profundo aprendizado, aumento de repertório e desenvolvimento de novas competências para enfrentar situações complexas.

E, com essa bagagem, auxilia profissionais menos experientes, disponibilizando toda a sua experiência para que aprendam com quem já viveu situações similares.

Assim, o mentor irá ajudar o mentorado partilhando ensinamentos profissionais, ajudando-o a ultrapassar as suas principais dificuldades, que porventura estejam a atrapalhar o seu processo de vida.

O mentoring pode envolver (mas não somente) profissionais de uma mesma empresa e tem como objetivo compartilhar conhecimentos. A aprendizagem se focaliza em objetivos, oportunidades, expectativas e na plena realização das potencialidades do orientando. É parte de processos de progressão ou planejamento de carreira. 

Diferentemente  de um coach, o mentor não precisa de ter uma certificação reconhecida, contudo tem que atender aos requisitos e ter experiência e conhecimento numa área especifica. A estrutura e a duração  de um programa de mentoring são mais livres, não existindo um número limite de sessões e duração das mesmas.

Agora que já estão mais claras as diferenças entre coaching e mentoring, saberia identificar qual deles seria interessante para você em seu atual momento de vida? Ou para os profissionais de sua empresa? 

Qual é a diferença entre eles?

Coaching
• Condução ativa da pessoa pelo superior imediato
• Estilo de liderança e supervisão
• Foco no curto prazo e no cotidiano
• Relação entre líder e subordinado
• Impulso no trabalho atual

Mentoring
• Orientação profissional por alguma pessoa da organização
• Estilo de desenvolvimento de carreira
• Foco no longo prazo e no futuro
• Relação entre protetor e protegido
• Impulso no encarreiramento futuro

Conclusão 
Falamos neste artigo sobre as diferenças entre mentoring e coaching, atividades que podem funcionar muito bem como estímulos para o desenvolvimento.

Pense bem; acho que vale a reflexão… 

Muito obrigado pela atenção de todos 

Eu sou o Professor Clóvis Castelo Júnior especializado em negócios e gestão e está é coluna/podcast de Negócios & Empreendedorismo do portal anotíciausa.com; também acessível por iPhone e por celulares Android. 

Muito obrigado e lembre-se a tolerância e o diálogo são o caminho.

Clovis Castelo Junior

By Clovis Castelo Junior

Clovis Castelo Junior é professor universitário, empreendedor no Brasil e nos Estados Unidos e mentor de startups

Leave a Reply

Your email address will not be published.