Os legisladores de Massachusetts deram na quarta, 8 e quinta-feira, 9, uma banana para o veto do governador Charlie Baker que no dia 27 de maio, havia vetado o Work and Family Mobility Act (H.4461/S.2289) que concede carteira de motorista para imigrantes indocumentados que havia sido aprovado por ampla maioria na State Representative e no State Senate, ao derrubarem de modo histórico o ato do mandatário. 

Na State Representative o placar foi de 119 votos a favor e 36 contrários e no State Senate foi de 32 votos favoráveis e 8 contrários. Ou seja, o veto do governador republicano foi solenemente ignorado pelos parlamentares. Uma lição, ou melhor, uma lavada e tanto.

Mas por que Baker vetou a medida aprovada que vai beneficiar milhares de trabalhadores imigrantes indocumentados e suas respectivas famílias? Vetou porque nunca houve qualquer disposição dele de beneficiar quem não têm documentos. Vetou porque tem o ranço dos republicanos contra imigrantes e em especial os que estão indocumentados. Vetou porque para gente do tipo do governador, imigrantes são sempre culpados por tudo o que acontece de errado, o que mostra todo o preconceito dele. Vetou porque é um homem tacanho. Vetrou porque é um retrógrado.

Porém, a desculpa esfarrapada que Charlie Baker deu para não promulgar a medida, foi a de que de posse de uma carteira de motorista, indocumentados poderiam se registrar para votar, o que configuraria uma fraude. Baker foi prontamente desmentido e fez cara de paisagem. Pelo que, o governador nos toma como imigrantes? Com fraudadores? Com bandidos? Com o que mesmo?

Tal como Donald Trump seu desafeto, que no lançamento da sua campanha presidencial, achincalhou os mexicanos, chamando-os de estupradores e traficantes, estereotipando e nivelando más e boas pessoas.

É claro que na comunidade brasileira, que é o nosso campo de visão tem gente de todos os tipos, inclusive malandros que vivem de golpes e espertezas, mas nivelá-los com trabalhadores honestos e íntegros é uma distância enorme. Talvez, o governador devesse perguntar para alguns dos seus secretários quantos americanos brancos como ele, estão cumprindo penas nas prisões estaduais por crimes diversos, inclusive praticando malandragens e espertezas. Aliás, grande parte dos detidos no sistema carcerário americano é composto de pessoas brancas.

Mesmo com a recomendação de especialistas e de autoridades, que referendaram a medida, Baker não se fez de rogado e em vez de entrar para a história como um governador que poderia beneficiar milhares de pessoas, vai constar nos anais como um homem mesquinho, intolerante e atrasado em relação ao seu tempo.

Baker deu com os burros n’água porque desta vez havia vontade, interesse e um trabalho de conscientização e convencimento junto aos parlamentares das duas casas como nunca houve antes.

E é aí que entra o Centro do Trabalhador Brasileiro (CTB), de Natalicia Tracy, Lenita Reason e um coalização de entidades que se dispuseram a marchar juntos pela aprovação da carteiras de motorista. Natalicia Tracy foi incansável e junto com sua equipe bateu de gabinete em gabinete no Parlamento estadual. Incontáveis vezes sequer foram recebidas, outras tratadas com desdém e ironia, mas mesmo assim não se sentiram desestimuladas. Seguiram adiante e aos poucos foram sendo ouvidas com atenção, conseguindo apoio e sendo levadas a sério.

Aliás, o que nunca faltou foi seriedade, mesmo sabendo que o governador não assinaria a lei caso fosse aprovada. O trabalho de convencimento foi histórico e marcante, e mesmo com a saída de Natalicia Tracy, convidada a trabalhar em Washington DC, na administração Biden-Harris, a lacuna foi devidamente preenchida por Lenita Reason, que continuou na batalha para a aprovação do projeto de lei, o que acabou acontecendo.

O apoio parlamentar foi tão bem amarrado, que caso houvesse o veto do governador, a Coalizão tinha a saída e os números para o impasse e foi exatamente o que aconteceu, num troco inesquecível para o governador.

A democracia é pródiga em ex. Ex-presidentes; ex-governadores; ex-parlamentares e mais uma relação infinita de ex. O Work and Family Mobility Act (H.4461/S.2289), entrará em vigor em julho de 2023 e Charlie Baker já será um ex-governador e no ostracismo.

Será uma emoção ver o primeiro de muitos imigrantes indocumentados recebendo a sua tão sonhada carteira de motorista. Melhor ainda, será a sensação de poder dizer em alto e bom som: ‘perdeu Charlie…’

Disclaimer
“All opinions and commentaries expressed by the participants in this interview are solely their personal current opinions and comments and do not reflect the opinions of A NOTICIA USA, their employees, business partners, directors, or affiliates, and may have been previously disseminated by them. The interview participants` opinions are based upon information they consider reliable, but neither A NOTICIA USA nor its affiliates, warrant its completeness or accuracy, and it should not rely upon as such”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *