Nariz entupido, coceira nos olhos que podem estar avermelhados e lacrimejando, coriza, espirros, tosse, dificuldade de respirar e dor de cabeça, são sintomas que a maioria das pessoas sentem na primavera, estação que começou no domingo, 20 e que devem durar algumas semanas, causando transtornos e incômodos.

Uma das maiores causas destes problemas, é o aumento considerável do polén cujo pó amarelado potencializa a maioria das alergias típicas da primavera. Tem ainda a rinite alérgica e a asma com grande incidência em pessoas, ressaltando que tanto uma quanto a outra são doenças crônicas.

Originalmente pensava-se que o feno acabado de cortar era a causa desta doença, tal como descreveu o médico inglês, John Bostock, em 1819. No entanto, a febre dos fenos é um termo enganador, pois a causa da doença não é o feno (erva seca) mas o pólen que produz. Em 1869, Charles Blackley identificou a causa real como sendo o pólen e, hoje em dia é mais corretamente conhecida como uma rinite alérgica sazonal, sendo a doença alérgica mais comum nas sociedades industriais.

Sintomas
Para algumas pessoas, a febre dos fenos é um incômodo que surge todos os anos. Para outros, no entanto, é um problema grave. Os seus sintomas incluem:
– Corrimento nasal
– Olhos vermelhos, lacrimejantes e coceira
– Dores de cabeça
– Dores de garganta
– Tosse
– Dificuldade para dormir
– Cansaço

Causas
A causa é uma reação alérgica a substâncias no ar, como o pólen, que entram em contato com o nariz, garganta e os olhos. As partículas minúsculas conhecidas como pólen são libertadas pelas árvores, ervas daninhas e outras ervas durante a Primavera, o Verão e o Outono. A sua missão na natureza é fertilizar outras plantas e assegurar a regeneração das espécies. Mas muitas partículas de pólen nunca atingem os seus objetivos e, ao contrário do pretendido, entram pelos nossos narizes e gargantas. O contato com os revestimentos úmidos do nariz, garganta e olhos levam o corpo a tentar expelir esses corpos estranhos. As células libertaram histamina, o que causa os sintomas alérgicos. Não se sabe exatamente porque algumas pessoas têm este tipo de resposta e outras não sentem quaisquer problemas mas pensa-se que a reação possa ser genética. Habitualmente esta doença afeta primeiramente as crianças e o problema diminui gradualmente quando a pessoa atinge os 30 ou 40 anos.

A alergia ao pólen
O pólen da erva é o culpado por 90% dos ataques de febre dos fenos. Os índices mais elevados deste pólen na atmosfera ocorrem entre maio e agosto. Um em cada quatro doentes são sensíveis ao pólen e os índices mais elevados deste pólen ocorrem mais cedo – habitualmente em abril ou maio.

Tratamento
Evitar
Existem três tipos de tratamento para esta doença. A primeira é evitar o que causa a reação alérgica. Para saber o que especificamente causa a reação consulte um alergista e/ou identifique qual a época do ano em que os sintomas são mais agudos e relacioná-los com os níveis de pólen nesse mesmo momento. Evite a exposição fechando portas e janelas, especialmente em dias quentes, usando o ar condicionado do carro, usando óculos escuros com proteção lateral e aplicando uma fina camada de vaselina nas narinas para que o pólen não entre no nariz.

Medicamentos
A segunda estratégia é o uso de medicação. Os anti-histamínicos são o primeiro tratamento para muitos doentes, que devem ter em consideração o fato de muitos histamínicos poderem causar sonolência. Peça ao médico que prescreva anti-histamínicos com menos efeitos secundários.

Na dúvida procure um médico e evite a automedicação.

Jehozadak Pereira

By Jehozadak Pereira

Jehozadak Pereira, é jornalista profissional especializado em jornalismo comunitário e produção de conteúdo informativo e de utilidade pública. É ganhador de inúmeros prêmios e reconhecimentos pela qualidade do seu trabalho comunitário e voluntário. É o editor-chefe e principal articulista do A Notícia USA.

Leave a Reply

Your email address will not be published.