O brasileiro Fausto Teixeira Martins Neto, o ‘Magrelo’, 43 anos, foi condenado no fim de dezembro de 2021, a uma pena de nove anos e três meses de prisão e a três anos de liberdade condicional pela Corte Distrital Federal em Las Vegas, Nevada, por fazer parte de uma quadrilha que roubava identidade e informações de cartões de crédito para comprar artigos e mercadorias, incluindo relógios Rolex, bolsas de grifes e outros artigos de luxo. Além disto, os cartões de crédito e informações bancárias eram usadas para obter dinheiro em estabelecimentos da The Strip, em las Vegas.

Entre janeiro de 2013 e janeiro de 2017, ‘Magrelo’, que também é conhecido como ‘Fausto Neto’ e ‘Fausto Martins’, e sua quadrilha da qual faziam parte Vitor Domingues Valentini dos Reis, o ‘Mancada’; Marcelo Araujo, o ‘Batata’; Lucas Coelho Paiva Rego; Leonardo Augusto Oliveira Santos; Lorenzo Ramon Sala Moura; André Araujo Rodrigues, o ‘André Menudo’; Pedro Igor Alves Barbosa; Francisco Rui de Alencar Mendes Filho; Vitor dos Reis; Anderson Clayton Mariano Alcântara, o ‘Foguinho’ ou ‘Fogs’; Amysterdan Barbosa da Silva; Carlos Rodrigo dos Santos Braga, o ‘Kiko’; Bruno Macedo Correia; Bruno dos Santos; Alexandre Lima de Souza; Shiro Noburo Naruse; Henrique Ortolani de Souza Vila Real, o ‘Bomba’; Rogerio Belarmino da Silva; Felipe Augusto Vicale Martins e Hugo Belmino Garces. A quadrilha que tinha ramificações nos Estados de Nevada, New York, Califórnia, New Jersey e Flórida era composta por 21 pessoas.

O modus operandi dos brasileiros consistia no uso de material sofisticado para produzir cartões de crédito falsos e clonados, cujas informações eram roubadas através de skimming, que eram usados para obter dados bancários de diversos modos, que incluía a invasão de sistemas de computadores de bares, restaurantes, lojas e postos de gasolina.

Com os cartões de débito e crédito falsos em mãos, a quadrilha comprava produtos e artigos de luxo, que eram na maioria das vezes revendidos nas redes sociais ou no mercado negro. A quadrilha tinha níveis diferentes de operadores – os que produziam os cartões; os que testavam os cartões e os ‘runners’ que acompanhavam as transações até a conclusão das compras. 

Os golpes eram praticados em hotéis-cassinos e empresas em Las Vegas, Nevada e outras cidades dos Estados Unidos, incluindo: Del Mar na Califórnia; Detroit no Michigan; New Orleans na Louisiana; Condado de Nassau em New York; Biloxi no Mississippi; e Atlantic City em New Jersey. O prejuízo causado pela quadrilha de brasileiros ultrapassou US$ 5 milhões, incluíndo cerca de US$ 3,5 milhões em saques em cassinos do MGM Resorts International e em caixas ATMs. Os brasileiros foram indiciados por formação de quadrilha, conspiração para cometer crimes contra o sistema financeiro federal, roubo de identidade agravado, furto, roubo, tráfico de drogas, fraude, acesso não autorizado a dispositivos e lavagem de dinheiro, entre outros delitos.

Fausto Neto é o 14º a ser condenado e os brasileiros da quadrilha receberam penas de prisão que variam entre dois anos e cinco anos. 

Imagem meramente ilustrativa

Jehozadak Pereira

By Jehozadak Pereira

Jehozadak Pereira, é jornalista profissional especializado em jornalismo comunitário e produção de conteúdo informativo e de utilidade pública. É ganhador de inúmeros prêmios e reconhecimentos pela qualidade do seu trabalho comunitário e voluntário. É o editor-chefe e principal articulista do A Notícia USA.

Leave a Reply

Your email address will not be published.